fbpx

13 Problemas no casamento que casais sábios resolvem facilmente

É normal que todos os casais passem por períodos de crise de diferentes intensidades. Alguns se divorciam após 2-3 anos de casamento, enquanto outros permanecem juntos por muitos anos. E não é uma questão de sorte, mas um casal feliz conhece uma verdade simples: é possível enfrentar todos os problemas da sua vida familiar, juntos!

Neste artigo apresentaremos uma lista dos principais problemas que até as famílias mais felizes podem enfrentar. No entanto, descobriu-se que todos eles têm uma solução.

  1. Sobrepeso

A maioria dos casais que se casam aumenta significativamente seu peso. Pesquisadores da Universidade de Glasgow realizaram um estudo importante e chegaram à conclusão de que, durante o primeiro ano de vida conjunta, o casal ganha uma média de 1,5 a 2 kg cada. Em média, os casados pesam 6 kg mais do que os solteiros. O ganho de peso é frequentemente associado ao estado de bem-estar psicológico: os cônjuges confiam uns nos outros e, portanto, podem “relaxar” um pouco.

O que devemos fazer? Perder peso juntos é mais fácil do que parece, porque você sempre terá uma pessoa que compartilha seu desejo de levar uma vida saudável ao seu lado. No entanto, os nutricionistas advertem: os homens tendem a perder peso mais rapidamente do que as mulheres, o que pode desapontar suas parceiras. Uma excelente maneira de colocar seu físico em ordem: ciclismo, montanhismo e até passeios a pé antes de dormir.

  1. O nascimento das crianças provoca uma crise financeira

O nascimento de crianças pode causar problemas financeiros em uma família jovem. As pesquisas realizadas pela NerdWallet mostraram que os pais quase nunca estão preparados para a vinda dos herdeiros, e não estamos falando apenas do bem-estar e de saber ou não criar um filho. Famílias de classe média e casais com recursos mais modestos sofrem com a falta de dinheiro.

O que devemos fazer? Começar a economizar dinheiro muito antes do nascimento do primeiro filho e reduzir as despesas desnecessárias: itens como o carrinho, o berço e algumas roupas podem ser comprados já usados. Outras coisas como andadoras, brinquedos musicais, etc., não são essenciais e podem ser comprados mais tarde.

  1. Conflitos com a sogra

A relação com a sogra sempre é assunto de piadas e até de filmes de comédia. Entretanto, brincadeiras à parte, os psicólogos dizem que tais relacionamentos podem ser de fato dramáticos e, muitas vezes, até mesmo danificar a saúde de ambas as partes.

A relação entre a sogra e nora pode não ser muito saudável. Um estudo realizado em 1954 demostrou que já naquela época 2/3 das sogras não estavam felizes com as esposas de seus filhos, enquanto as noras, em resposta, eram hostis com as mães de seus maridos. Cientistas japoneses descobriram que as mulheres que moram com a suas sogras tem maior probabilidade de sofrer doenças cardíacas isquêmicas.

O que devemos fazer? O caminho mais seguro para evitar conflitos com a sua sogra é morar separadamente. Talvez, no começo, a vida independente seja mais cara, mas vale a pena em todos os aspectos. No entanto, se não há a possibilidade de viver separado, será preciso usar todas as suas habilidades diplomáticas e explicar tranquilamente a seu marido que as brigas com a sogra, caso existam, incomodam.

  1. Gastam dinheiro de diferentes maneiras

De acordo com as estatísticas, uma das primeiras coisas na lista de causas de divórcio são conflitos sobre dinheiro. Após o casamento, os fundos pessoais de repente podem ser acessados por ambos e, para a maioria dos casais, esta situação pode gerar um verdadeiro estresse, principalmente se um dos cônjuges ganhar muito mais do que o outro. Infelizmente, devido à vontade de evitar grandes conflitos, os casais tentam evitar falar sobre finanças.

O que devemos fazer? Os especialistas financeiros recomendam que os casais discutam sobre problemas financeiros sem se sentir envergonhados. É necessário estabelecer prioridades e decidir se sua família irá economizar ou investir o dinheiro, se no próximo ano eles irão fazer uma viagem para o exterior ou remodelar o apartamento. As respostas a essas e outras perguntas ajudarão vocês a determinarem a melhor estratégia financeira para família nos próximos anos.

  1. Os hábitos do outro incomodam

Depois de vários meses de casamento, alguns hábitos e particularidades da nossa alma gêmea realmente tendem a incomodar. Os psicólogos afirmam com convicção: isso acontece com a maioria dos casais e não significa que o amor acabou. É surpreendente, mas alguns dos hábitos que antes eram mais atraentes em seu parceiro ou parceira começam a incomodar terrivelmente após um tempo. O amor por esportes, o hábito de ler à noite, a popularidade entre amigos: tudo isso e muito mais entra na lista dos hábitos mais irritantes.

O que devemos fazer? Conforme-se. De verdade. É preciso recordar com mais frequência que os gostos, hobbies e caprichos do seu parceiro fazem com que ele seja único: afinal, você se apaixonou por essa pessoa. Mas se os pequenos detalhes incomodam, dedique mais tempo ao trabalho e aos seus amigos para começar a sentir falta do seu cônjuge.

  1. Esquecem datas importantes

A falta de memória do seu companheiro pode causar muitos episódios de decepção, porque às vezes isso é visto como um insulto extremamente pessoal. Como a pessoa amada pôde esquecer a data do casamento de vocês, o aniversário de sua amada avó ou a hora exata do primeiro beijo de vocês?

Acontece que mesmo as pessoas quase perfeitas, às vezes, esquecem coisas importantes: talvez trabalhem muito ou sejam realmente distraídas por natureza. Pode ser que para um cônjuge todas essas datas não sejam tão importantes e, em parte, isso é justo, porque o principal na vida familiar não são as datas em um calendário, mas seu relacionamento.

O que devemos fazer? Para evitar conflitos, procure lembrar o seu parceiro sobre as datas e eventos importantes na sua vida familiar. Desta forma, você evitará a decepção e o outro não terá que se sentir envergonhado por sua distração.

  1. Ficam entediados

O primeiro ano de casamento nem sempre é uma continuação da mágica lua de mel. Ao contrário das expectativas, as flores, as noites românticas e conversas de “coração para coração” uma hora acabam, e o que resta é uma rotina chata. Em parte, essa decepção pode ser explicada pelas expectativas superestimadas dos cônjuges e, em parte, por conta da falta de experiência de vida. Mas a maioria dos casais enfrenta mudanças semelhantes no relacionamento.

O que devemos fazer? As prioridades das pessoas casadas são diferentes das prioridades dos namorados: agora, o casal divide um lar, contas a pagar e, possivelmente, tem filhos. Além disso, agora devem ser definidos com antecedência os momentos para compromissos românticos e outros eventos importantes. Os psicólogos garantem que não há nada de anormal nisso: a vida familiar está associada ao cumprimento de um determinado cronograma e à distribuição de responsabilidades. Planeje encontros românticas, idas ao cinema e ao teatro. Apenas assim a chama do amor não desaparecerá da sua vida familiar.

  1. Ficam juntos 24h por dia, 7 dias por semana, e é chato

Há quem pense que os cônjuges devem passar todo seu tempo livre juntos, porque na teoria isso fortaleceria a relação e possibilitaria o surgimento de interesses em comum. Entretanto, para alguns casais, após algum tempo vivendo dessa forma pode surgir um incômodo, e isso não é atípico.

O que devemos fazer? Cada um dos cônjuges deve ter seus próprios hobbies, algo que talvez não interesse ao outro (claro, desde que não seja destrutivo) e que possam fazer sem o outro. Não há nada com que se preocupar em passar o fim de semana separados: isso ajuda a fortalecer a relação.

  1. Más companhias

Após o casamento, os cônjuges adquirem não apenas novos parentes, mas também novos amigos.

Muitas vezes, os amigos do marido ou da esposa não são bem-vindos em casa. Para os recém-casados, pode parecer que os amigos ocupam muito espaço na vida da família e acabam exercendo más influências sobre o casal.

O que devemos fazer? Deixe que sua alma gêmea tenha um melhor amigo que não seja você. Essa ideia pode ser difícil de aceitar, mas seu parceiro realmente precisa se comunicar com outras pessoas, é importante para ele e até mesmo para o casal. O professor da Universidade de Maryland, Dr. Jeffrey Greif, afirma que os amigos são importantes para as relações familiares, não apenas os novos amigos, como também aqueles que conhecem seu parceiro há muitos anos.

Não critique um amigo que você acha desagradável: se for o caso, critique as ações (se houver). Tente estabelecer relações com amigos ou pelo menos mude sua atitude para com eles: lembre-se que a primeira impressão pode, muitas vezes, estar errada. Finalmente, permita que seu parceiro tenha amigos “fora de casa”, porque, de qualquer forma, você não pode nem deve controlar todos os aspectos de sua vida.

  1. Têm diferentes hábitos de sono

Na década de 1970, os cientistas estudaram ritmos circadianos e descobriram que existem as chamadas “cotovias”, pessoas que acordam cedo descansadas e prontas para o trabalho, e os mochos, que são mais ativos à noite. O que acontece se um representante das cotovias e um mocho se encontrarem e decidirem começar uma família? Afinal, tal relacionamento pode causar algum inconveniente e até mesmo prejudicar a saúde, tanto de um, quanto de outro.

O que devemos fazer? Os diferentes ritmos biológicos de modo algum impedem que essas pessoas tenham um casamento feliz, mas ambos precisam ceder de certa forma. Por exemplo, enquanto um cônjuge estiver dormindo, é possível ao outro realizar muitas tarefas que beneficiarão a família.

  1. O trabalho doméstico agora é sua única responsabilidade

Apesar do fato de que vivemos no século 21, os estereótipos sobre a divisão do trabalho por gênero permanecem fortes entre muitos casais: as mulheres devem manter o conforto do lar (mesmo se trabalharem dia e noite, fora de casa), e o homem é obrigado a prover para sua família. Esse acordo pré-estabelecido pela cultura pode ofender e causar discórdia.

O que devemos fazer? Discutir o assunto da distribuição do trabalho doméstico antes do casamento. E, claro, aproveitar ao máximo os benefícios do progresso científico e tecnológico: usar a máquina de lavar louças, o forno para fazer pão ou uma panela multifuncional pode resolver muitos problemas cotidianos. Além disso, com a possibilidade de colocar as contas em débito automático, não haverá mais brigas sobre pagamentos. Para a alegria dos casais modernos, os conceitos antigos perderam sua influência: já está mais do que comprovado que as mulheres são capazes de administrar empresas, e os homens hoje já recorrem à licença-paternidade para cuidar das crianças.

  1. Discutem por nada

Os psicólogos acreditam que todos os casamentos passam por crises: os momentos em que a insatisfação dos cônjuges atinge seu pico. No entanto, as crises têm seu próprio encanto: servem como oportunidade para renovar a relação e elevá-la a um novo nível. Seu parceiro cordial e tranquilo se transformou em uma pessoa furiosa, que discute por qualquer coisa, e a casa se tornou um campo de batalha? Nós nos apressamos em desapontá-lo: muito provavelmente, o seu comportamento também não é ideal.

O que devemos fazer? Não tente mudar seu parceiro: tais tentativas apenas provocam um sentimento de decepção. Em vez disso, você deve aprender a ouvir a posição do outro. Infelizmente, pessoas próximas são capazes de magoar umas às outras de uma forma muito intensa, já que eles conhecem todas as vulnerabilidades do parceiro. É por isso que a paciência e o respeito pelos sentimentos do outro são os itens principais que ajudarão a resolver essa crise no casamento. Conversar com calma, expor seu ponto de vista, considerar o do outro e tentar melhorar a si mesmo são pontos essenciais para a resolução do problema.

  1. Meu parceiro olha para outras pessoas

E então, do dia para a noite, seu parceiro começou a mostrar um interesse muito claro em outras pessoas. É uma boa razão para começar a fazer um escândalo e brigar ou isso não deve ser levado em consideração?

Não há uma resposta clara para esta pergunta: há alguns que afirmam que as preocupações com relação aos olhares “casuais” é problema da pessoa que está preocupada com esses olhares. Outros acreditam que é um sinal que uma crise está se aproximando do relacionamento. Alguns homens têm um ponto de vista diferente dizem não ver nada negativo nestes olhares, argumentando que isso não têm relação com o desejo de trair sua esposa.

%d blogueiros gostam disto: