fbpx

Estudo mostra que pessoas que conversam com animais de estimação são mais inteligentes

Há coisa melhor do que ter um animalzinho de estimação com quem você pode conversar, desabafar sem ser julgado ou criticado? Só quem tem um desses peludos em casa é que experimenta tanto amor e alegria.

E não pense que quem conversa com animais é doido não, viu? Pelo contrário. Cientistas afirmam: quem fala com bichos é mais esperto do que aqueles que não o fazem.

De acordo com um estudo realizado por Gary D. Sherman e Jonathan Haidt, da Universidade de Harvard, as pessoas que amam animais e que muitas vezes têm uma conversa com eles são mais inteligentes, e não loucas!

O estudo foi baseado no ato de atribuir aos animais uma personalidade humana ou antropomórfica. Essa tendência, ou antropomorfismo, é uma atitude que todos têm desde a infância, por isso é considerada infantil e estúpida.

O antropomorfismo é uma forma de pensamento que atribui características ou aspectos humanos a animais, deuses ou elementos da natureza.

Na realidade, como confirmado pelo professor Nicholas Epley, professor de Ciências Comportamentais da Universidade de Chicago, é precisamente essa capacidade de tornar as coisas humanas o que nos torna inteligentes.

O estudo destacou ainda como o antropomorfismo também se estende a objetos inanimados. Não é por acaso que aprendemos desde a infância a brincar com bonecas e bichos de pelúcia, dando-lhes um nome e conversando com eles.

A condição estudada pelos dois cientistas também é aplicável no caso de marionetes e em qualquer idade.  Além de serem mais inteligentes do que as outras pessoas, aqueles que têm essa atitude mostram uma criatividade marcante.

Mas comportar-se dessa maneira não é útil apenas para nós humanos.

É que, ao tratar com frequência nosso animal de estimação como se fosse uma pessoa, conversando com ele, fazemos com que ele aprenda com o tempo a reconhecer palavras diferentes e o tom da nossa voz para entender nosso estado de espírito.

O aumento na capacidade de experimentar empatia em animais é, portanto, uma consequência direta do antropomorfismo.

A melhor parte de toda essa notícia é que você não precisa mais se envergonhar quando falar com seu cachorro ou conversar com seu gato como se fosse um amigo de longa data.

Quer uma dica?

Ignore qualquer um que olhar torto para você por causa das suas conversas com seus amados bichinhos.

%d blogueiros gostam disto: